Quarta-feira, Outubro 5, 2022
Publicidade
InícioCrónicasNoite de casa cheia, justificadamente, em Alcochete

Noite de casa cheia, justificadamente, em Alcochete

Na corrida que fechou as Festas do Barrete Verde e das Salinas, em 16 de Agosto, houve pegas e lides para encher a alma aos espectadores.

O espectáculo foi dirigido por Fábio Costa assessorado pelo veterinário José Luís Cruz. Nesta noite tivemos o privilégio de ver esses pressupostos em todos os que se puseram diante dos morlacos com pesos por volta dos 600 quilos, com cara e aspecto de quem tem jogo e quer jogar. Pertencem à ganadaria Veiga Teixeira com encaste Oliveira Irmãos e Parladé. 

António Ribeiro Telles, o Mestre, veio dizer que a lesão já passou e que quem gosta de bons espectáculos, tem aqui quem nos dá de sobejo o que lhe é pedido.

Que valentia e que arte nos são propostas por tamanho artista.

Para os pegar tínhamos os Forcados Amadores de Montemor, cabo,  António Pena Monteiro e os Amadores do Barrete Verde de  Alcochete de Marcelo Lóia.

João Moura Jr. não precisa de moldura para por a sua foto. Basta-lhe o nome que carrega, o seu querer faz o resto, o que é muito tal como a sua responsabilidade

Nisto de famílias toureiras, a Prates deu-nos este fruto que em boa hora é apoderado pelos empresários desta praça.

 A garra com que consegue dar a volta ao não estar no tal patamar superior das famílias toureiras fica-lhe marcado na sua vontade,  onde toda a equipa que sai à praça vai para ganhar.

No que concerne às pegas não quero ser desmancha-prazeres e dizer que umas foram melhores que as outras, mas apenas distinguir a primeira, de cernelha, com o cabo de Montemor, António Pena Monteiro, como cernelheiro e Francisco Godinho como rabejador.

De todas as outras era injusto fazer alguma avaliação porque foram excelentes.

Uma grande noite de toiros, mau grado o vento que dificultava o trabalho essencialmente dos peões de brega. Esperamos por mais noites destas.

Publicidade
Publicidade

Últimas