Olivença: El Juanito ovacionado em tarde de debute e com falta de sorte

Segunda e última novilhada da feira de Olivença. Gines Marin recebeu o seu primeiro por verónicas de joelhos em terra rematando com um farol. Uma faena de muleta inteligente ao primeiro novilho da ganadaria de Talavante; um colorau que apenas pecava pela falta de força, que o jovem de Olivença começou logo por cuidar desde o princípio de faena que iniciou por passes ajudados por alto. Toureou pelos dois pitons e meteu-se em terrenos de compromisso, matou de sorte contrária e cortou a primeira orelha da manhã.

João Silva "El Juanito" debutou com picadores com o novilho "Garduño" brilhou com o capote; no tercio de bandarilhas cravou dois pares fortemente aplaudidos o bandarilheiro português João Diogo Fera. Não teve sorte o jovem novilheiro português com o seu primeiro novilho; desgastado, manso e sem força; começou a ficar em curto logo depois do início de faena nos médios por estatutários, foi assobiado no arraste e Juanito saiu a saudar como motivo da compreensão do público pela falta de matéria-prima e pelo esforço do toureiro.

De Sevilha e também para debutar com picadores veio Afonso Cadaval, "Tarifeño" se chamava o toiro do seu debute.

Depois de brindar a sua faena a Gines Marin , Cadaval teve também um novilho pela frente com pouco recorrido; o que não deixou romper faena a este jovem toureiro sevilhano que apontou mesmo assim excelentes maneiras. Matou com um estoque à antiga e foi aplaudido.Gines Marin brindou ao público a sua segunda faena; de joelhos nos médios foi assim que iniciou a faena de muleta; mais um novilho que pouco transmitia, ao qual Marin persistiu em sacar faena conseguindo o triunfo fruto da enorme toreria que já possui; rematou com uma enorme e eficiente estocada tendo cortado as duas orelhas.

O quinto da manhã estava reservado a João Silva "El Juanito"; e desta vez o quinto foi ao contrário da máxima, o manso perdido da corrida; poucas ou nenhumas opções de Juanito com o novilho fechado em tábuas desde o início da lide. Aplausos para Juanito e assobios para o toiro no arraste.

Afonso Cadaval fechava o capítulo dos novilheiros da feira de Olivença; "Aguaclaro" assim se chamava o último da manhã que rasgou três capotes ao toureiro do Guadalquivir. Um bom novilho e uma faena com aroma de Cadaval; uma forte voltereta pelo meio terminando de em grande plano e cortando uma orelha. Fraco curto de novilhos de Alejandro Talavante com nota positiva apenas para o primeiro e último.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*