“Os resultados líquidos são para investir na Celestino Graça”, diz Diogo Sepúlveda na apresentação da temporada de Santarém (c/som)

A associação Praça Maior, responsável pela programação tauromáquica da Praça de Touros Celestino Graça, em Santarém, apresentou esta manhã os cartéis da temporada 2019.

Uma cerimónia que decorreu junto ao busto de Celestino Graça e que contou com dezenas de aficionados a assistir.

O Toureio.pt falou com um dos membros desta associação, Diogo Sepúlveda, que começou por explicar que “o projecto Praça Maior nasceu num seio e amigos, que tinham um objectivo em comum, a preocupação do estado de preservação tanto do património da Praça de Touros Celestino Graça como do seu património tauromáquico. Já aqui todos presenciámos grandes corridas de touros, grandes triunfos, momentos de alternativa, efemérides de todo o tipo ao nível do toureio nacional e de Espanha”, acrescentando que “sem dúvida que nestes últimos anos a praça tem vindo a cair, bateu no fundo o ano passado quando não houve corridas na Feira de Santarém, e isso para nós foi-nos ao coração. E de uma forma voluntária, sem qualquer interesse financeiro, decidimos ‘vamos abraçar este projecto, vamos fazer algo por esta praça’ e apresentámos logo um projecto à Santa Casa da Misericórdia, ao qual nos foi dito para irmos a concurso e nós dissemos ‘não vamos a concurso’. Nós vimos aqui e uma forma voluntária levantar esta praça, não vamos a concurso. Não somos uma empresa..Somos uma associação e apresentámos um projecto que foi bem visto pelos aficionados, foi bem visto pela Santa Casa, foi bem visto pela Câmara Municipal e foi bem visto pela CAP e CNEMA que logo desde inicio quiseram envolver-se e portanto nasceu assim um projecto sem fins lucrativos e com uma missão muito clara: devolver a Santarém o seu património (Praça de Touros Celestino Graça), devolver aos aficionados a Monumental Praça de Touros de Santarém e devolver prestigio à própria praça.

Diogo Sepúlveda refere ainda que “começámos de uma forma voluntária a limpar a praça, a tirar lixo da praça, é incrível mas tirámos mais de cinco tonaladas de lixo da praça (com as nossas mães, pais, filhos, família, tudo a ajudar) com o objectivo de lavar a cara a esta praça.”

O membro da Praça Maior diz ainda que “planeámos para Santarém três corridas de touros. Três corridas com categoria com toureios escolhidos a dedo, touros escolhidos a dedo, forcados escolhidos a dedo. Que sejam as primeiras três, é esse o nosso desejo. Uma corrida em Março, integrada nas festas da cidade de Santarém, dia 17 de Março- Festas de São José; uma corrida no dia 10 e Junho, feriado nacional; e uma corrida 16 e Junho, volta a haver uma corrida da CAP, dos agricultores. Portanto fazemos aqui o apelo para que os aficionados adiram, que os avós tragam os netos, ao pais tragam os filhos, porque só assim se passa conhecimento e cultura. E é isso que sustém este património ao longo das várias gerações.”

Questionado sobre os artistas apresentados e os cartéis anunciados como diferenciadores, Diogo Sepúlveda declarou que “em primeiro, os toureiros foram os primeiros a querer dar a cara. E isso é uma mensagem muito clara que precisamos passar, quando pusemos o nosso projecto aos toureiros e a nossa preocupação, eles também comungaram dessa preocupação. Foram os primeiros a querer dar a cara. Obviamente que escolhemos o bom que temos, com certeza que muitos outro bons ficaram de fora e lamentamos por isso, mas se Deus quiser isto é um processo que continua e não conseguimos trazer todos. Obviamente que muitos ficaram por vir e que também manifestaram vontade e preocupação pelo estado desta praça. Portanto aquilo que vamos e estamos a fazer é cartéis de competição, cartéis que tenham mensagem, cartéis que tenham algo por detrás, que não sejam toureiros isolados. Touros escolhidos a dedo, touros com trapio, Santarém precisa de touros com apresentação, e grupos de forcados de primeira linha.”

Sobre uma tentação de contratar uma figura estrangeira para encher a praça, Diogo Sepulveda diz que “neste primeiro ano quisemos envolver os toureiros da terra, os nossos toureiros. Obviamente que todos gostamos, e sabemos que são, dos toureiros espanhóis e dessas figuras do toureio. Se eles quiserem virão também a Santarém, mas este ano quisemos dar primazia aos portugueses, à fruta das nossas árvores. Porque sabemos que aqui temos matéria-prima boa que deve ser estimada, desde toureiros mais velhos a toureiros mais novos, a oportunidades também. Mas como disse, é um projecto que certamen te vai continuar e haverá espaço para todos…”

Já sobre o resultado económico no final da temporada e qual será o destino dado a essa verba, o porta-voz da Associação refere que “os resultados vão ser para investir na infraestrutura, na própria praça. E portanto está feito em contrato, está escrito. Os resultados líquidos são para investir na Celestino Graça.”

 

 

Para ver

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*