Quarta-feira, Agosto 10, 2022
Publicidade
InícioCrónicasPablo Aguado e “Toñete”, uma orelha cada um na abertura da Feira...

Pablo Aguado e “Toñete”, uma orelha cada um na abertura da Feira de Olivença

Num dia invernal, com tudo a que se tem direito: chuva, vento e muito frio, foi inaugurada a Feira de Olivença como “pontapé de saída” da temporada taurina espanhola. Teve lugar pela tarde, e com o atraso de meia hora por causa da chuva, a primeira novilhada picada do ciclo com novilhos bem apresentados da ganadaria “El Parralejo” com nota alta em apresentação e comportamento para o lidado em quarto lugar por Pablo Aguado que depois de o receber com disposição á portagaiola lhe cortou uma orelha, que se a espada tivesse entrado á primeira tinha-lhe valido o par. Aguado aproveitou as nobres e francas investidas do novilho toureando repousado e com temple que fez vibrar as bancadas. O primeiro da tarde justo de forças, poucas hipóteses deu de luzimento a Pablo Aguado; com o frio da tarde junto ao frio da faena apenas recolheu aplausos pelo seu labor o jovem toureiro sevilhano.

O mexicano Leo Valadez não teve sorte no seu lote; o primeiro depois do tércio de varas e de uma “volta de campana” foi protestado pelo público, uma faena cuidada de Valadez com momentos de bom toureio pelo lado direito, sofreu forte voltereta no final da faena e foi silenciado.

Também no seu segundo o silêncio foi o prémio obtido numa actuação onde se viu o melhor da tarde com o capote, verónicas que fizeram soar os “olés” das bancadas mas depois com a muleta a falta de força do novilho foi mais forte que a nobreza que apresentava, o que impossibilitou que Leo Valadez mostrasse o seu bom toureio.

António Catalán nos cartéis “Toñete”, sofreu impressionante voltereta (que lhe provocou uma lesão cervical) quando se preparava para receber o terceiro da tarde por estatuários; recomposto, voltou á cara do novilho e tentou tourear com verdade,  conseguindo boas séries de derechazos; toureou também por naturais e conseguiu ligar uma faena que toda junta lhe valeu a primeira orelha do ciclo Oliventino.

Apesar da lesão sofrida no seu primeiro novilho, saiu da enfermaria para lidar o sexto e último da tarde; uma faena menos conseguida que a primeira, mas ainda assim com bons momentos de toureio que não tivesse sido o desacerto na hora de matar tinha passeado a sua segunda orelha, tendo assim ficado pelos aplausos.

Terminou assim o primeiro espectáculo da feira de Olivença, ficando para a história o arrojo da empresa em levar por diante a novilhada depois de um dia invernal, a valentia dos toureiros e a aficcion do público, que aguentou a intempérie sem arredar pé.

Publicidade
Publicidade

Últimas