Segunda-feira, Outubro 3, 2022
Publicidade
InícioCrónicasPerera e Campos em ombros Badajoz

Perera e Campos em ombros Badajoz

Para a história fica a alternativa de Tomás Campos e o corte de duas orelhas e correspondente saída em ombros; mas a tarde foi de Perera no seu segundo toiro.
 
“Pícaro” de 505 kg da ganadaria de Garcigrande foi o toiro da alternativa de Tomás Campos, abriu a faena de muleta muito relaxado por derechazos com temple, com o vento a prejudicar um pouco como aconteceu ao longo da tarde; experimentou também por naturais num toiro que investia a custo resultando numa faena que não rompeu, mas que o público quis premiar com o corte de duas orelhas e porta grande assegurada. O segundo que lidou não lhe deu tréguas, pedia contas e andava com a cara por alto em investidas bruscas, desarmou-o logo quando lidava á verónica, facto que aconteceu também com a muleta, apanhou susto e pouco mais se viu deste recém doutorado artista.
Não pudemos ver o capote de Morante no primeiro que se chamava “Hablador”, metia cara por alto e ficaram pinceladas soltas de arte com a muleta; ainda soaram os acordes da filarmónica prontamente silenciados por o de “La Puebla”. “Bonachon” segundo do seu lote já possibilitou olés para as verónicas de Morante; brindou ao respeitável e inicia com vontade por derechazos; agora sim música e segue por naturais; toiro nobre que humilhava e permitiu o luzimento do artista que com meia estocada á segunda cortou uma orelha. Segue o “Morante Tour” “El arte no tiene medo!”
“Listo” um cinquenho bem medido foi o primeiro lidado por El Juli, ouviu os primeiros olés num quite por chicuelinas nos médios , brindou ao público e mostrou uma faena essencialmente baseada na mão esquerda, tirou tudo ao toiro, esteve valente por cima dele, colheu a unanimidade do público, estocada inteira e descabelho, cortou uma orelha de peso onde bem podiam ter sido duas. Vem no segundo toiro “Miliciano” para arrancar o triunfo; uma lide poderosa, na primeira série de naturais esteve soberbo, desde o inicio ao som de “Nierva” com o solo de trompete  a ser também premiado com olés, uma faena mandona sempre a dar vantagens ao oponente com entrega total; falhou na hora de matar e perdeu duas orelhas.
Miguel Angel Perera foi o grande triunfador da tarde na lide do seu segundo toiro que se chamava “Furioso”. Perera além de ter sido triunfador absoluto de Madrid com duas saídas em ombros e corte de cinco orelhas; vem de uma série alargada de portas grandes consecutivas e na sua terra não fugiu á regra; e foi na lide do seu segundo toiro que isso aconteceu; um colorado bravo e nobre; que permitiu logo brilho na muleta por verónicas; também o tércio de bandarilhas protagonizado pela sua quadrilha teve emoção, e na muleta vimos um toureiro confiado e valente, seguro a mostrar todo o valor que leva dentro; o alegre galope do toiro e forte recorrido imprimiu brilhantismo ás sortes e permitiu um toureio vistoso e emotivo, sem se mover vimos séries de derechazos de nota alta; no final prega um “arrimon” dos tais! Duas orelhas com petição de rabo e enorme bronca á presidencia. 
 
 

Publicidade
Publicidade

Últimas