Presidente da Ass. de Empresários Tauromáquicos afirma que “conjuntura e as vicissitudes” que o país atravessa não afectaram o sector”

Praça Cheia

Paulo Pessoa de Carvalho concedeu uma entrevista à Agência Lusa em que aborda a temática da corrida de touros em Portugal e onde faz um balanço desta temporada, marcada pela morte de dois forcados.

O presidente da APET, Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos, refere que “notámos mais pessoas nas praças”. “Infelizmente, foi uma temporada marcada pela tristeza, pela morte de dois forcados, tendo sido aquilo que mais marcou o sector. No entanto, ao nível do espectáculo, notámos este ano mais pessoas nas praças, o que é positivo”, acrescentou.

As mortes ocorridas em Setembro, dos forcados Pedro Miguel Primo, de 25 anos, dos amadores de Cuba, e Fernando Quintela, de 26, dos amadores de Alcochete, na sequência de colhidas em corridas de toiros realizadas, respectivamente, em Cuba (Beja) e Moita do Ribatejo (Setúbal) foram consideradas pelo empresário e presidente da APET como “trágicas para toda a família taurina”, antes de acrescentar que a “conjuntura e as vicissitudes” que o país atravessa não afectaram o sector, que termina o ano com um “saldo positivo”.

“Eu continuo a considerar que a temporada obteve um saldo positivo. Não obteve os triunfos que queríamos, não apareceu o toureiro que pode levar multidões às praças, mas continuam a viver-se bons momentos e boas expectativas”, vincou.

“Faltam ídolos” para esgotar as praças de toiros em Portugal de uma forma “mais contínua”, quando o sector assiste, em paralelo, a um “rejuvenescimento” de aficionados, acrescentou.

O número de espectáculos tauromáquicos, ainda sem dados objectivos, em 2017 em Portugal deverá estar pela mesma medida de 2016. De acordo com o relatório da Inspecção Geral das Actividades Culturais (IGAC) publicado no seu sítio na Internet, em 2016, realizaram-se 191 espectáculos tauromáquicos em Portugal.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*