Redondo: Rouxinol e Forcados de Cascais triunfam numa noite em que os touros também tiveram uma palavra a dizer

Redondo corrida de toiros por ocasião das festas locais; meia casa forte para presenciar uma entretida corrida onde o prémio Simão da Veiga Jr para a melhor lide foi ganho por Luís Rouxinol na sua segunda atuação; e o prémio Miguel Capinha Alves para a melhor pega foi para a última pega da noite executada por Ventura Doroteia dos Forcados de Cascais.

Rui Salvador abriu a noite com uma lide onde teve que porfiar bastante para cravar a ferragem da ordem; destaque para o segundo curto numa atuação com pouca história do cavaleiro de Tomar. Foi premiado com volta acompanhado do forcado Joel Zambujeira que executou na perfeição e sem problemas a primeira pega da noite.

De notar que os primeiros grandes aplausos da noite foram para um dos campinos de serviço que com valentia, arrojo e bastante emoção recolheram o primeiro da noite; Janeca e "Café" deram volta de agradecimentos juntos com cavaleiro e forcado; mais que merecida.

Luís Rouxinol brindou ao público a sua primeira lide perante um toiro que pedia contas; acometia de todos os lados e custava em se fixar; dois compridos para depois nos curtos sacar o "Ulisses" e com ele bregar de forma espetacular que agradou bastante as bancadas; o segundo curto foi um grande ferro ao estribo com o toiro a "cravar-se na bandarilha"; terminou com dois de palmo uma lide com valor e arrojo para a qual também contribui a bravura e emoção do toiro. Rui Grilo pegou à segunda e deu aplaudida volta acompanhado de Luís Rouxinol.

António Maria Brito Paes lidou o seu segundo depois de o primeiro se ter lesionado na saída; uma lide com altos e baixos perante um toiro que não ofereceu facilidades; como se impõe. Foi-lhe concedida volta que optou por não dar; Hugo Figueira cabo dos Forcados da casa executou rija pega à segunda tentativa.

Rui Salvador não teve sorte com o seu segundo; manso e com sentido; foi com sortes sesgadas e a pisar terrenos de grande compromisso que Salvador ganhou a volta. Renato Cristo dos amadores do Redondo executou rija pega à segunda tentativa.

Luís Rouxinol teve no seu segundo uma lide alegre que chegou forte às bancadas e que colheu consenso tanto do júri como do respeitável; a garra e a vontade deste cavaleiro são inesgotáveis, e quando há prémios em disputa não costuma facilitar; foi assim mais uma vez, e desta com direito à assinatura da casa que é o par de bandarilhas.

Carlos Baião dos amadores de Cascais executou a quinta pega da noite à primeira tentativa.

António Maria Brito Paes teve uma grande atuação com o sobrero que fechou a corrida; um toiro voluntarioso que permitiu ferros com emoção a Brito Paes numa lide sem tempos mortos que foi premiada com volta.

Ventura Doroteia fechou da melhor maneira o capítulo das pegas naquela que seria a vencedora do prémio em disputa.

O curro de toiros de Vale de Sorraia cumpriu em bravura e ofereceu emoção; num tempo em que tanto se fala da falta dela certamente que a volta do ganadeiro tinha sido mais que merecida.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*