Sexta-feira, Dezembro 9, 2022
Publicidade
InícioCrónicasREGUENGOS DE MONSRAZ – Com 40 graus também se toureou e...

REGUENGOS DE MONSRAZ – Com 40 graus também se toureou e bem

A praça de toiros “José Mestre Batista” na cidade de Reguengos de Monsaraz, abriu as suas portas para a realização do 1º espetáculo da temporada 2014. A Empresa  “Verdadeira Festa Lda.”, montou um cartel bastante atrativo, numa tarde de autêntica canícula (estavam 40º de temperatura), daí talvez o facto de as bancadas de Sol apresentarem um aspeto desolador, enquanto os sectores de sombra estavam bem preenchidos.

LUIS ROUXINOLque entrou nesta corrida substituindo João Moura, que como é do conhecimento geral encontra-se a recuperar de um percalço que sofreu durante um treino na sua herdade, abriu o festejo lidando um bonito toiro negro listão, ao qual deixou de inicio dois bons ferros compridos, com o hastado a carregar na garupa do cavalo. Para a ferragem curta trouxe a égua Viajante, que mais uma vez demonstrou toda a sua classe, pois foi necessário preparar bem as sortes, mostrar-se ao toiro e entrar reto a pisar terrenos de compromisso, pois o opositor veio a menos, acudindo apenas com meias-investidas. Três curtos de boa nota e um de palmo, deixando o público bastante satisfeito. A sua segunda lide ao 4º da tarde começou com emoção dado que o toiro transmitia na altura de receber a ferragem, derrotando de cara alta. Foi sol de pouca dura, pois o cornúpeto infelizmente perdeu o andamento inicial e foi novamente necessário brega aturada e entrar-lhe pela cara adentro para provocar investida e cravar a ferragem da ordem. Cravou um par de bandarilhas de grande mérito, no centro do ruedo e terminou com um brilhante ferro de palmo, uma atuação que voltou a ser muito aplaudida pelos tendidos.

O segundo toiro da corrida era o mais pesado do curro enviado pela ganadaria Murteira Grave, bonito bem apresentado e com trapio, que tocou em sorte ao cavaleiro RUI FERNANDES, que tudo fez para triunfar; porém com o decorrer da lide, o toiro perdeu o ímpeto inicial, sendo necessário pisar-lhe os terrenos para deixar a ferragem. Lide muito digna, que o público também soube premiar com fortes aplausos. Foi uma atuação muito conseguida a que realizou com o quinto da tarde, que também foi colaborante apenas de saída, onde o ginete aproveitou esse ímpeto para deixar dois emocionantes ferros compridos. Depois as qualidades das excelentes montadas que possui e a sua inspiração toureira fizeram o resto, deixando o público rendido à sua classe.

MANUEL TELLES BASTOS, cavaleiro de dinastia, personifica o toureio clássico, e pessoalmente é um gosto vê-lo atuar. Teve duas atuações distintas, na primeira esteve bem, mas discreto, lidando um toiro que saiu com pata dos currais e que foi muito bem recebido no capote desse enorme bandarilheiro que dá pela alcunha de “Curro”. Deixou três compridos à tira, devidamente rematados. Nos curtos o toiro, embora se distraísse com o que se passava em redor, teve algumas investidas, que o ginete aproveitou para lhe deixar ferros curtos ao estribo, levantando bem a mão e rematando as sortes. O sexto e último toiro do festejo, foi sem dúvida o melhor, um bravo, sério, com trapio e excelente apresentação, que acudia com prontidão às montadas, e transmitia no momento de receber o castigo. O cavaleiro da Torrinha (penso que posso assim dizer) veio por todas, e recebeu o seu oponente sem ajuda dos bandarilheiros, cravando logo de saída um grande ferro comprido, augurando o que de bom estava para vir. Depois o seu classicismo, a excelente monta que possui, a sua classe, a sua serenidade, a sua alegria e o seu gosto pessoal fizeram o resto, oferecendo uma lide para “recuerdo” dos presentes, principalmente daqueles que são fiéis seguidores deste tipo de toureio. Foram cinco ferros curtos de grande classe, sempre ao estribo, e bem rematados, saindo em ambiente de triunfo.

Tarde complicada para os forcados, estavam em competição dois dos mais prestigiados grupos portugueses, Santarém e Montemor (estes a comemorarem o seu 75ºaniversário).Foram caras pelos scalabitanos LOURENÇO RIBEIRO (á 1ª tentativa),JOÃO VAZ FREIRE (á 2ª tentativa) e DAVID INÁCIO também á 2ª tentativa. Pelos montemorenses, pegaram FRANCISCO BORGES (á 1º tentativa),o cabo ANTÓNIO VACAS DE CARVALHO (á 5ª tentativa) e finalmente FREDERICO CALDEIRA (á 2ª tentativa).

O curro de toiros com o ferro e a divisa azul e amarelo da ganadaria MURTEIRA GRAVE,estava irrepreensível de apresentação, tiveram comportamento desigual e acusaram na balança os seguintes pesos: 530Kg, 595Kg, 510Kg, 540Kg, 510Kg e 560Kg.

Dirigiu sem problemas, a corrida o delegado do IGAC, Sr. Tiago Tavares, sendo assessorado pelo médico-veterinário Dr. Matias Guilherme .

 

Publicidade
Publicidade

Últimas