“São as condições necessárias não só para mim, mas deveriam ser as condições para qualquer matador”, diz Pedrito de Portugal (c/som)

Como o já Toureio.pt noticiou, os cartéis da tradicional Feira de São João, em Badajoz, foram apresentados esta terça-feira, 5 de junho, no Instituto Cervantes, em Lisboa.

Esta feira taurina que contará com várias presenças portuguesas entre elas a do matador de touros Pedrito de Portugal, que regressa assim à praça onde tomou a sua alternativa.

O Toureio.pt esteve presente na apresentação dos cartéis e falou com Pedrito de Portugal que começou por dizer que este era um convite que “estava sempre à espera em anos anteriores, mas o importante é que surgiu e o que eu desejo é que Deus me abençoe e que me dê inspiração, que os touros invistam para poder dar uma grande tarde de touros a toda a afición”.

Sobre uma possível longa temporada em Portugal, Pedrito afirma que “obviamente que a corrida integral faz falta em Portugal, porque tem de haver diversidade e a tauromaquia do toureio a pé, sem os touros picados e sem a corrida integral não faz sentido, eu levo longos anos a dizer que não faz sentido e como é um espetáculo livre, as pessoas têm a oportunidade de escolher o tipo de espetáculo que querem ver” acrescentando que “temporada longa em Espanha, sim, estou a desejar e estamos a trabalhar nesse sentido […], mas o que eu pretendo é começar a fazer temporada em Espanha”.

Sobre outras corridas já agendadas o toureiro lisboeta afirma que “uma vez que surgiu este convite para Badajoz, os convites de certas empresas estamos a aguardar para ver como vai ser o desenlace”.

Questionado concretamente se Pedrito vai atuar ainda este ano em Portugal, declarou que “desde que os empresários assim o queiram e estejam reunidas as condições eu por mim com certeza, o meu país é sempre o meu país”.

No próximo ano Pedrito celebra 25 anos de alternativa, sobre este tema o matador português afirma que “eu celebro 25 anos, mas não vejo data para retirada, mas o mais importante é continuar a ter capacidade, tanto física, como vontade de continuar a tourear e continuar a deleitar a afición, mas eu particularmente não estou a delinear nada e estou sempre de portas abertas para as empresas que assim o desejarem”.

Sobre o Campo Pequeno, Pedrito diz que “sou toureiro de Lisboa, dos poucos toureiros que esgotou Lisboa, mais do que uma vez e se continuo a arrastar multidões e, portanto, o Campo Pequeno aí está, eu aqui estou e quando a empresa assim o entender, aqui estarei de braços abertos para dialogar e criar as condições necessárias para o triunfo”.

Sobre se as condições de Pedrito são impeditivas para chegar a um acordo com o Campo Pequeno, o matador responde que “eu não sei se são grandes ou pequenas condições, eu sei que são condições necessárias não só para mim, mas deveriam ser condições para qualquer matador: a ganadaria, a data e o cartel, três condições que Pedrito não coloca só ao Campo Pequeno, mas a todas as praças desde que começou com nove anos de idade e nada mudou, as exigências, são exigências básicas

 

Para ver

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*