Domingo, Outubro 2, 2022
Publicidade
InícioNotícias"Se soubesse que a praça estava assim, tinha pensado duas vezes antes...

“Se soubesse que a praça estava assim, tinha pensado duas vezes antes de concorrer”, diz Marco Pernas

A Câmara Municipal de Estremoz assinou, sábado, o contrato de concessão da Praça de Touros da cidade com a Tertúlia Tauromáquica de Estremoz.

A Tertúlia Tauromáquica de Estremoz vai, nos próximos três anos, gerir a praça de touros, bem como a sua envolvente, tendo já anunciado vários eventos a realizar neste recinto. Foi ainda anunciado que as corridas de touros serão promovidas em parceria com a empresa tauromáquica Toiros e Tauromaquia.

A assinatura do contrato decorreu no Museu Berardo Estremoz e contou com a presença de José Daniel Sádio, presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Marco Pernas, presidente da Tertúlia Tauromáquica de Estremoz, Margarida Cardoso, da Empresa Toiros & Tauromaquia Lda, entre outras entidades.

Em declarações aos jornalistas José Daniel Sádio, Presidente do Município de Estremoz, referiu que “o nosso diagnóstico em relação à praça de touros de Estremoz e à tauromaquia não é favorável, pois, temos uma praça de touros que está totalmente degradada e não houve qualquer cuidado sua na manutenção nos últimos anos e após a reinauguração. Sentimos que esta praça não teve o benefício que poderia ter, uma série de situações, que não vale a pena recordar, levaram a que esta praça não tivesse conquistado o espaço que ela merece no âmbito de tauromaquia nacional e regional”.

Explicou o autarca que “achámos que devíamos promover um concurso público, mas limitá-lo às associações de Estremoz porque seguramente são as associações de Estremoz que farão pela sua terra e pela praça. Por outro lado, procurámos também garantir em termos de município aquilo que não estava garantido, e a associação que irá explorar a praça, irá ter também uma contrapartida financeira para o município, para que anualmente possamos fazer a manutenção que é necessária e que nunca foi feita”.

“Duas associações participaram neste concurso e a tertúlia venceu, tem um projeto muito interessante e estou seguro que nestes próximos três anos conseguiremos recuperar o espaço que Estremoz tem na tauromaquia”, adiantou o presidente da autarquia estremocense.

“Queremos que haja boa tauromaquia, que a praça encha e que as pessoas venham a Estremoz e visitem Estremoz, é essa a nossa motivação” disse ainda José Sádio.

Questionado se a autarquia iria imputar responsabilidades à anterior gestão pelo facto da praça de encontrar degrada, o edil disse que “não, porque essa situação não foi acautelada no tempo devido e agora não temos como o fazer”.

Por outro lado, Marco Pernas, presidente da Tertúlia Tauromáquica de Estremoz, explicou que “queremos que todos os aficionados se voltem a deslocar à praça de Estremoz, pretendemos cativar as pessoas, acreditando no nosso trabalho, este é um projeto com seriedade, onde vamos ter muitos eventos ligados à tauromaquia e queremos devolver a Estremoz o lugar que a cidade merece no calendário taurino nacional”.

Questionado sobre o primeiro evento a realizar nesta praça, o Presidente da Tertúlia Tauromáquica referiu que “será a corrida de toiros do dia 30 de abril, integrada na FIAPE, é uma corrida com curro de Pégoras, com idade, peso e trapio, está muito rematado o curro e com um cartel que conta com Luís Rouxinol, Marcos Bastinhas, António Pratas, Francisco Cortes, os Forcados de Évora e o Grupo de Forcados de Monforte, que é constituído na sua maioria por pessoal de Estremoz”.

Marco Pernas lamentou o estado em que está a praça atualmente e afirmou que “se soubesse que a praça estava assim tinha pensado duas vezes antes de concorrer, pois, já conhecia a praça e sabia das condições que tinha esta praça e depois do concurso quando visitei a praça fiquei desiludido porque quem geriu a praça nada fez para a conservar. A praça está a precisar de muitas obras para ficar acessível e para estar bonita”.

Sobre o que é prioritário fazer para reabilitar a praça, Marco Pernas disse que “será a trincheira, as pinturas interiores e arranjar as cadeiras, o mais urgente, neste momento, vai ser o interior da praça”.

Já sobre o facto da Tertúlia recorrer a uma empresa tauromáquica para realizar as corridas de touros, quando no passado a Tertúlia já tinha organizado espetáculos tauromáquicos, Marco Perna explicou que “porque o concurso lançado pela Câmara já foi um pouco tardio, ou seja, ara organizar a corrida da FIAPE já não tínhamos muito tempo e não tínhamos toureiros e touros reservados e estamos a um mês do primeiro evento e então tivemos de procurar alguém com uma estrutura já montada”, acrescentando que “neste momento já somos sócios da Associação de Empresários Tauromáquicos, mas não tínhamos o tempo necessário para montar o espetáculo”.

Já sobre a duração da parceria com a empresa Toiros e Tauromaquia, Marco Pernas esclareceu que “a parceria vai ser analisada ao fim de cada temporada tauromáquica, se ambas as partes estiveram contentes segue-se, se alguma das partes não estiver satisfeita termina a parceria “. Fique de seguida com algumas imagens desta cerimónia, numa reportagem de Hugo Calado:

  • Marco Pernas
Publicidade
Publicidade

Últimas