Sector Tauromáquico avança para a justiça contra a “ditadura do “gosto””

Conforme noticiamos, a Associação Nacional de Grupos de Forcados (ANGF) anunciou, esta quarta-feira, em conferência de imprensa, o adiamento das Marchas Taurinas que se iriam realizar no próximo sábado.

Após ter anunciado o adiamento das marchas taurinas devido à evolução epidemiológica registada em Portugal, o Presidente da ANGF anunciou que o sector tauromáquico não vai parar de se defender contra a discriminação que alega estar a ser alvo.

Diogo Durão referiu que apesar de não haver as manifestações, “não vamos ficar parados à espera que esta ditadura do “gosto” nos seja ilegalmente imposta”, adiantando que “não restando outra alternativa, reagiremos pelos meios judiciais tidos por adequados à protecção intransigente da nossa causa – Cultura – pelo modo mais eficaz e célere, no cumprimento escrupuloso da lei, bem como na defesa da sua justa aplicação. E não vamos ficar por aqui”.

Questionado pelo Toureio.pt, sobre quem, concretamente, iria avançar para a Justiça e em que termos, Diogo Durão adiantou que “será a Prótoiro em representação de todo o sector, para defender-nos nos sítios certos contra esta ditadura do “gosto”, sendo que os termos ainda estão a ser avaliados pela nossa equipa de advogados”.