“Somos todos pessoas responsáveis, sérias e conscienciosas”, diz representante dos Forcados justificando o adiamento das marchas

Conforme noticiamos, a Associação Nacional de Grupos de Forcados (ANGF) anunciou, esta quarta-feira, em conferência de imprensa, o adiamento das Marchas Taurinas que se iriam realizar no próximo sábado.

Diogo Durão, Presidente da ANGF, justificou o adiamento das marchas pelos “números preocupante da região de Lisboa e Vale do Tejo e Alentejo, quanto à situação do COVID-19”, acrescentando que “decidimos alterar a data das nossas marchas para um dia o mais próximo possível, esperando nós que, nessa data, a situação possa estar mais controlada.”

O Presidente da ANGF é explicito que “somos todos pessoas responsáveis, sérias e conscienciosas em relação à importância que têm os nossos idosos, as nossas crianças, as nossas famílias e a nossa sociedade. Mesmo em relação aos que não gostam da Tauromaquia”, referindo ainda que “apesar de estamos a ser injustiçados e discriminados, queremos em primeiro lugar proteger os nossos concidadãos. Não queremos pôr em risco ninguém.”

O representante dos Forcados salienta que estava previsto a presença de centenas de pessoas em cada marcha, destacando que “temos a certeza que os milhares de pessoas que estavam já a programar o seu Sábado, para marcar presença na marcha mais próxima, estão de acordo com esta tomada de posição: responsável e séria”, referindo ainda que “os Portugueses contam connosco para lutar por esta expressão cultural tão nossa, tão Portuguesa. Mas, também contam connosco no combate à Pandemia. Desde o início e até ao fim.”