Tauromaquia: “É impossível nós fazermos orientações para todos os sectores”, diz Directora-Geral da Saúde

A Tauromaquia prepara o seu regresso e embora ainda sem data oficial para a reabertura das praças de touros, há informações que a DGS já vai disponibilizando.

A DGS tornou publico, esta quinta-feira, o Guia de Recomendações para o reinício de actividades culturais, artísticas e desportivas, nas quais se inclui a tauromaquia.

Graça Freitas, da DGS, comentou este guia (sem especificar ou mencionar a tauromaquia) que o objectivo “é permitir a todas as pessoas retomarem a sua actividade com planos de contingência bem elaborados, tem um quadro conceptual que são as orientações da Direcção-Geral da Saúde, sendo que é impossível nós fazermos orientações para todos os sectores. É uma espécie de tabela de equivalências, portanto os sectores terão ali uma base para fazerem os seus planos de contingência”.

No documento há algumas informações a reter tais como “a ocupação dos lugares sentados deve ser efetuada com um lugar livre entre espectadores que não sejam coabitantes, sendo a fila anterior e seguinte com ocupação de lugares desencontrados“, ou ainda que “os camarotes devem ser ocupados por coabitantes quando tenham 6 ou menos lugares” e “os lugares de galeria só podem ser utilizados com lugares sentados“.

As informações não divergem quase nada dos restantes espectáculos culturais, sendo ainda explicado que a entrada dos espectadores deve ser realizada por ordem de fila e de lugar, no sentido do lugar mais afastado da entrada para a entrada, evitando o cruzamento entre espectadores.

A saída dos espectadores da sala deve ser realizada, de preferência, por local diferente da entrada, no sentido do lugar mais próximo da saída para a saída, evitando o cruzamento entre espectadores.

Contudo, aguarda-se as indicações específicas para a tauromaquia e a data oficial para o regresso desta actividade cultural.