Domingo, Agosto 14, 2022
Publicidade
InícioOpiniãoUm dia triste para a memória de uma lenda

Um dia triste para a memória de uma lenda

Este é um dos textos que parecem não querem sair. É complicado falar-se, em termos de morte, de quem se admira e de quem se foi fã.

Isto para dizer que o homem que foi apelidado do príncipe dos bandarilheiros, tendo na altura, toureado em todo o mundo taurino e triunfado em todo esse universo, despediu-se hoje de nós colhido pelo terrível Covid-19.

Este homem desafiou todas as probabilidades na sua vida, não só pondo-se frente às mais sérias ganadarias, como até quando o aconselharam a não escolher ser matador de toiros, ele apostou e ganhou.

Foi e com sucesso!

Dizia-se que quem vinha de bandarilheiro não chegava a ser figura e ia limitar-se a ser mais um.

Afinal, o mundo ficou a saber que para quem tem valor, essas probabilidades estatísticas não passam disso mesmo: probabilidades!

Hoje, por muito que nos custe e aos 84 anos, o maestro fez a sua última faena ficando-nos na retina a sua finura nos passes e o seu modo de defender a festa, sempre assertivo e nunca deixando nada por dizer.

Descanse em paz!

Pelo que tenho visto e nos é reportado no nosso site, a APET mudou de direcção e tem preparada uma série de actividades para dinamizar a nossa festa. Ainda bem que assim é porque dada a pandemia e tudo o que isso envolve, é preciso voltar a pôr tudo nos eixos para que estejamos em pleno, quando houver possibilidades de fazer mais espectáculos.

Paulo Pessoa de Carvalho teve uma importância grande em tudo o que se fez até agora, mas se vierem ideias novas e mais agregadoras, tanto melhor.

Acho, aliás, que seria uma boa maneira de mobilizar a afición nestes tempos sem corridas, as visitas às ganadarias e aos treinos dos artistas, tal como é falado nas suas intenções. Assim sendo, até eles se sentiriam mais próximos de quem os admira e os aficionados poderiam enriquecer os seus conhecimentos, com umas boas e esclarecedoras conversas.

Nos Açores, havendo a tradição de fazer tentas comentadas, parece-me que também seria uma questão que cabia aqui.

Pelo que sabemos a corrida anunciada para Moura e mais uma vez graças ao vírus, foi cancelada, mas a de Estremoz está aí de pedra e cal. Já falta pouco para os toiros estarem de volta.

Pois que venham e saiam com raça que os artistas estão famintos de glória.

Publicidade
Publicidade

Últimas