Terça-feira, Outubro 4, 2022
Publicidade
InícioCrónicasVila Franca: Um touro que valeu por mil palavras…

Vila Franca: Um touro que valeu por mil palavras…

Ir aos toiros a Vila Franca de Xira, já por si engrandece o espirito de aficionado dado o seu carisma e a sua exigência. No passado dia 7 de Outubro, a Praça de Touros Palha Blanco recebeu o seu segundo festejo da Feira de Outubro e que contou com mais de meia casa, numa dia em que a chuva várias vezes ameaçou marcar também presença na arena vila-franquense.

Uma noite que fica sem sombra de dúvida marcada pela despedida do bandarilheiro Ernesto Manuel e por um touro de Pinto Barreiros.

Mas comecemos pelos touros que saíram à arena, na primeira parte tivemos oportunidade de ver três touros Victorino Martin, no tipo da ganadaria mas escassos de carnes e a permitirem pouco aos toureiros. Na segunda parte saíram à arena dois touros Pinto Barreiros e um São Torcato., que saíram bem apresentados e a darem bom jogo, destacando-se o quarto da noite, que era bravo e nobre, o que lhe valeu volta à arena e o público a aplaudir de pé e ainda volta à arena do ganadero. Eu como aficionado, confesso que foi um momento que fez arrepiar, pois ver aplaudir um touro de pé, não se vê todos os dias, infelizmente.

Abriu a noite António Ribeiro Telles, que certamente não teve a lide que desejaria, pois o Victorino Martin que teve pela frente não o permitiu. Uma lide de onde apenas recordamos um bom comprido e dois curtos, não lhe tendo no final sido concedida volta. A sua segunda lide foi de maestro, em que tirou quase tudo o que o touro tinha para dar e digo quase tudo porque num touro com esta qualidade a matéria-prima nunca se esgota. Uma lide sempre em crescendo, com bons ferros, em sortes frontais, ao estribo de alto abaixo e muito bem rematados. No final a merecida volta com forcado e o ganadero Joaquim Alves.

Seguiu-se Vítor Ribeiro que não esteve nos seus dias. Se na primeira lide o touro não colaborou para que a lide saísse como todos desejávamos, na segunda foi Ribeiro a dificultar. Na segunda lide Ribeiro poderia, na nossa opinião, ter tirado mais partido do Pinto Barreiros que teve pela frente, que apesar de não ser como o seu irmão pedia outro entendimento. De salientar que apenas deu volta na primeira lide.

Duarte Pinto voltou a mostrar que está num bom momento. Esteve por cima do seu primeiro touro, dando-lhe a lide adequada e que apesar de não ser extraordinária, foi agradável. Na segunda lide, começou por ver o seu oponente ser devolvido aos currais por algumas dificuldades de locomoção, sendo substituído por um touro de São Torcato. Duarte realizou uma lide em crescendo, fazendo tudo bem feito. Deixou bons ferros em sortes frontais e ajustadas, que agradaram ao respeitável, que aplaudiu fortemente. De salientar que deu volta em ambos os touros.

No que diz respeito à forcadagem, os Amadores de Vila Franca encerraram-se com os seis touros e mostraram como se pega. Pegaram Bruno Casquinha, à terceira, Pedro Castelo, à primeira, António Faria, à primeira, João Pedro Bento, à segunda, este que fez a sua despedida, Ricardo Castelo, à primeira e Rui Godinho, á segunda.

De salientar que nessa corrida, o conhecido bandarilheiro Ernesto Manuel, da quadrilha de António Telles, fez a sua despedida cortando a coleta, num momento emotivo, tendo-lhe sido tributados fortes e merecidos aplausos.

O espetáculo foi dirigido pelo Sr. Pedro Reinhard. 

 

Publicidade
Publicidade

Últimas