Vila Viçosa: Dinastias em terra de Reis…

Corrida de toiros em Vila Viçosa por ocasião das tradicionais Festas dos Capuchos que este ano cumprem cento e cinquenta anos de existência.

Um cartel anunciado de dinastias que resultou numa tarde com pouca história.

Francisco Cortes coube-lhe abrir a tarde perante um toiro cinquenho da ganadaria de Vale de Sorraia que colaborou com a Cavaleiro de Estremoz para uma lide regular que veio um pouco a menos na parte final. Francisco Núncio reapareceu e cumpriu bem a papeleta perante um toiro também com ferro de Vale de Sorraia; apesar de andar um pouco atribulado na cravagem dos ferros compridos, depois na ferragem curta andou desembaraçado e deixou ferros de boa nota, quem sabe nunca esquece.

Alberto Conde foi dos três Cavaleiros menos rodados que compunham a primeira parte do cartel, aquele que melhor esteve; recebeu logo á porta gaiola o toiro que pertencia á ganadaria de David Ribeiro Telles e desenvolveu uma lide em crescendo terminando com dois grandes ferros ao estribo rematando a lide com um ferro de palmo, escutou fortes aplausos.

Com o ferro Vale de Sorraia foi também o toiro lidado por Manuel Telles Bastos que andou uns furos abaixo daquilo que lhe temos visto esta temporada, com ferros soltos de nota positiva, ficou a faltar um pouco de inspiração e entrega a este toureiro artista que é Manuel; são assim estes toureiros de arte.

Marcos Bastinhas foi aquele que mostrou mais disposição para o triunfo nesta tarde, mas também foi simultaneamente aquele que menos matéria-prima teve; nada que impedisse o Cavaleiro Elvense de atingir esse triunfo e chegar ao público como nenhum nesta corrida; recebeu de forma espectacular o seu oponente; logo nos compridos a emoção foi elevada; o toiro de David Ribeiro Telles tinha fortes mangadas, Bastinhas entrava por ele e cravou emocionantes ferros; o público exigiu mais; o par de bandarilhas foi o remate de uma lide de triunfo em que Marco esteve e muito por cima do seu oponente.

Tomás Pinto também somou triunfo em Vila Viçosa; com um toureio de verdade, três compridos de estalo foram o aperitivo para uma lide que chegou fortemente às bancadas, o toiro de David Ribeiro Telles que foi o maior da corrida serviu para Tomás exprimir da melhor forma o seu toureio; na parte final da lide é agarrado pelo toiro que se engancha no estribo e provoca uma forte queda ao jovem Cavaleiro sem consequências aparentes, pois refeitos do susto (ginete e montada) voltaram para terminar a lide com um bom ferro de palmo. Um cavaleiro que sem sombra de dúvidas merece muito mais oportunidades.

Dois Grupos de Forcados: Amadores de Santarém que aproveitaram a tarde para mostrar novos valores; Lourenço Ribeiro pegou o primeiro da tarde á segunda tentativa; depois no terceiro António Taurino executou á primeira tentativa aquela que foi a pega da tarde, e por fim Ruben Giovety que executou rija pega á segunda tentativa depois de brindar aos Bombeiros locais, certamente brinde extensivo a todos os Soldados da Paz deste País que tanto tem sofrido este Verão.

Pelos Amadores de Coruche João Peseiro concretizou á terceira tentativa, depois Paulo Oliveira pegou á primeira, e na última pega da tarde depois de várias tentativas de cernelha por intermédio de Màrio Rosa e Miguel Lopes que nunca se concretizaram resolve o Grupo pegar de caras numa pega efectuada á primeira tentativa por intermédio de João Sousa.

Mesmo com os preços bem populares; podemos dizer que dez minutos antes da corrida ainda havia bilhetes de dez euros; o público apenas preencheu as bancadas com meia casa envergonhada.

Muitos comentários negativos do público para as condições do piso que levantada imensas nuvens de pó logo desde o inicio do espectáculo; facto a que nós também nos associamos.

Nota de Redação: O Toureio.pt não irá apresentar fotografias desta corrida, por não ter sido disponibilizado, por parte da empresa, o local devido e definido por lei no regulamento tauromáquico para a realização da reportagem fotográfica digna como é nosso apanágio. Esta decisão foi tomada pela empresa para toda a imprensa, para que minimizar o “aglomerado de pessoas na trincheira”….

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*