Voltou a cumprir-se a tradição… Mourão voltou a abrir a temporada

Praça de Touros Dr. Libano Esquivel

Localidade: Mourão

Promotor: CampoToro – Agropecuária e Turismo; Lda

Tipo de Espetáculo: Festival Taurino

 

Ganadaria: Calejo Pires

Cavaleiros: Francisco Palha e David Gomes

Espadas: Juan Leal, Joaquim Ribeiro “Cuqui”, João D’Alva e Manuel Perera

Grupo de Forcados Amadores: Santarém

 

Diretor de Corrida: Agostinho Borges

Médico-Veterinário: Dr. Matias Guilherme

Cornetim: Nuno Massano

Banda: Banda de Música Mouranense

Manda a tradição, portuguesa, que o dia 1 de fevereiro marque o arranque de mais uma temporada taurina. Uma vez mais a Praça de Touros Dr. Líbano Esquível, em Mourão, abriu as suas portas para um festival taurino por ocasião das Festas em Honra de Nossa Senhora das Candeias.

Os aficionados deslocaram-se a Mourão e preencheram ¾ da lotação do tauródromo alentejano.

 

Lidaram-se seis novilhos da ganadaria alentejana de Calejo Pires, que na generalidade cumpriram, sendo que de apresentação houve alguma oscilação entre o bom e o menos bom, no entanto o comportamento “tapou” a pouca apresentação de alguns astados.

 

A primeira lide da temporada coube a Francisco Palha, que teve pela frente um astado que foi indo a menos, tendo Palha encurtado terrenos ao longo da lide para assim tirar um maior partido da rês que tinha pela frente.

O praticante David Gomes esteve em bom plano, dando a lide adequada ao novilho que teve pela frente. Sortes frontais, com o ‘emborque’ a acontecer no centro da arena, resultando assim em bons ferros.

Estes dois primeiros astados da temporada foram pegados pelos Forcados Amadores de Santarém, por intermédio de Francisco Paulos e Bernardo Bento, à primeira e à segunda tentativa, respectivamente.

A parte apeada foi pautada por detalhes e pouco mais.

Abriu esta parte o francês Juan Leal, que recebeu bem o novilho no capote, sendo que na muleta também esteve em bom plano e agradou ao público presente. Juan Leal esteve a gosto, aproveitando as boas condições do novilho que teve pela frente, numa faena ligada e a mostrar ofício.

Seguiu-se Joaquim Ribeiro “Cuqui” que lidou um pequenote novilho que foi recebido por Verónicas e Chicuelinas, realizando depois o tércio de bandarilhas. Uma faena com altos e baixos, mas ainda assim a deixar ambiente para as próximas atuações.

João D’Alva foi o espada que se seguiu e a quem tocou em sorte um bom novilho de Calejo Pires e o jovem aluno da Escola de Vila Franca não deixou fugir esta oportunidade. Esteve bem no capote, executando também ele o tércio de bandarilhas. Na muleta o jovem toureiro mostrou que tem dentro de si algo que o pode levar a ser figura e certamente com o trabalho que tem realizado, lá chegará… Deixou isso patente em Mourão.

A fechar a tarde, uma agradável surpresa, Manuel Perera que deu a faena adquada ao novilho que teve pela frente. Uma atuação que foi sempre a mais, deixando também ele uma boa impressão na afición portuguesa.

Para ver

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*